Imagem capa - 2017... o ano das boas novas histórias por Mariana Jordão Fotografia
Pensamentos soltos

2017... o ano das boas novas histórias

Hoje é dia de entregar o último trabalho do ano, o último #saiuparaaentrega de 2017. Deixei para escrever aqui, tudo o que queria escrever a respeito desse ano, que está se despedindo da gente. 


Bem disse a capa da minha agenda "2017: Boas novas histórias. Passado a limpo, o futuro é um presente" ... o que foi a mais absoluta verdade na nossa vida por aqui. Mas claro, com dificuldades, com desafios, com tudo o que existe de vida real, fora dessas telinhas e redes sociais. 


Ontem ainda, estava lendo um post de uma fotógrafa que acompanho, do Rio de Janeiro. O ano inteiro de praia e fotos lindas, com nada menos que o Pão de Açúcar ao fundo, em quase todas elas. Muito sol, muitas coisas boas... Mas a legenda da foto fez meu queixo cair: Anna dizendo que seu 2017 foi um ano em branco. Ficou doente, passou por cirurgia, enfrentou muitas dificuldades e, por fim, o desejo de que esse ano se vá logo. 


Como tudo por aqui engana a gente! Na mesma hora, escrevi para ela, dizendo que justamente nesse ano, conheci suas cores e suas fotos lindas, que jamais imaginaria ler o que estava lendo. Toda manhã, quando abria o stories dela, o sol do Pão de Açúcar chegava aqui. E pensava: que privilegiada! Mal sabia eu o que ela vinha enfrentando... 


A retrospectiva bateu por aqui.  Parei pra olhar esse ano que já vai. Algumas vezes pensei que não daria conta. Algumas vezes parei para analisar qual seria a lógica de se ter dois empregos- um trabalho que nunca para, porque enquanto descanso de um, estou empenhando tudo de mim no outro, pra que dê certo e pra que um dia, possa viver fazendo somente o que eu amo. Principalmente agora, neste finalzinho de ano, dormir três horas por noite, levou muito da minha força e da minha energia embora. E conciliar dois trabalhos com a vida, com as coisas de fora desse universo, com família, com tudo aquilo de precioso que nos exige atenção, cuidado e carinho? Abri mão de coisas que amo, por conta de trabalho. Abri mão de muitas coisas, desejando que fosse apenas uma fase. 


Mas antes, lá em 7 de dezembro, quase fechando o ano de trabalho, preparando as coisas para participar o Moda e Festa Kids, correndo atrás de fazer e entregar a tempo, todas as lembrancinhas pra quem esteve aqui comigo o ano todo, editando e tratando algumas mil fotos, perdida no meio da agenda apertada, já tive a chance de parar para enxergar o lado bom de tudo isso. Bem naquele dia, em que cheguei do laboratório com um pacote de quase 100 fotos (por conta da minha indecisão, de não conseguir resumir meu ano em 24 fotos), coloquei todas em cima da minha mesa e filmei com o celular, pro meu stories. Naquele dia, uma amiga me escreveu "Quanta gente! Quantos cliques! Deus é bom."


Percebi que, quando coloquei tudo na balança para pesar, tudo de bom pesou bem mais que os pequenos percalços que precisei contornar. Pesou muito mais um abraço apertado que ganhei, ao deixar uma caixinha de memórias por aí. Pesou muito mais aquela mensagem carinhosa, que alguém deixou no meu Whatsapp, quando abriu sua caixinha e reviveu sua própria história em cada foto. Pesou muito mais voltar pra casa com aquela sensação de que o que trazia comigo nos cartões de memória seriam as lembranças que ficarão guardadas e que tive o privilégio de ter sido escolhida para contar, da minha forma, cada uma delas. E sobre voltar pra casa, pesou muito mais ter uma casa pra chamar de minha, pra onde eu posso voltar; onde tenho Nani e Fifi, duas barulhentas, na porta a me esperar, abanando seus cotoquinhos de rabo. Pesou muito mais cada palavra de incentivo dos que amo (marido, pai, mãe e irmão, sempre presentes). Pesou muito mais cada um que entrou na minha história e na história da minha fotografia. Tudo de bom sempre pesou muito mais que todas as dificuldades que enfrentei por aqui. 


Fui privilegiada por poder registrar tantos dias de festa lindos, na vida de cada família, uma mais querida que a outra, Privilegiada por ter me surgido aqui o Queria ser uma Mosquinhafotografia com uma nova proposta, de mostrar que o dia-a-dia da vida é tão lindo quanto os dias de festa. Privilegiada por poder, agora, conjugar todos os verbos que falam sobre Mariana Jordão Fotografia, não mais concordando com a primeira pessoa do singular e sim, com a primeira pessoa do plural (opa, português! será que ainda lembro?? rsrsrsr).  Agora são nossos cartões, nossos textos, tudo nosso. Agora falamos "nós" e não mais "eu". Somos nós aqui do outro lado: Paulo e Mari, porque ele vem, desde junho, colocando seu olhar também em cada trabalho. Uma ajuda maravilhosa, deste que já é o parceiro de toda as histórias da minha vida há 15 anos. Quem escreve sou eu, Mari, Mas quem trabalha aqui, somos nós. E quem sabe essa equipe não aumenta em 2018, hein?! 


Não foi um ano fácil não, mas, afinal, para quem foi? Para Anna, desejo muita saúde, pra que 2018 venha carregado de leveza, para que possa trabalhar feliz e continuar mandando a luz do Pão de Açúcar pra cá, todos os dias. Para quem perdeu gente querida, desejo que Deus conforte o coração de um jeito que, em 2018,  fique só o amor e as lembranças boas, ao invés da dor. Para quem perdeu dindim, desejo muitas novas oportunidades e novas portas se abrindo; que 2018 venha com muito trabalho e novos começos. Para quem perdeu os sonhos, desejo que volte a sonhar em 2018, porque é de sonhos que a vida se faz. 


A respeito da agenda do ano que vem, não achei nada com frases, destas  que gosto. Você vai ver que comprei um planner que tem escrito na capa só "2018", na esperança de que seja um ano cheio das melhores coisas dessa vida: paz, saúde, amor e muita felicidade. Que tudo isso pese muito mais que qualquer dificuldade momentânea. Que assim seja, pra nós e pra você! 


Obrigada pelo ano, obrigada por estar aqui com a gente. Obrigada por nos acompanhar, em cada post, em cada canto onde estamos aqui no mundo www. 


Vamos fazer uma pequena pausa, para repor energias, colocar tudo em ordem e organizar o coração para todo mundo que vai chegar, para os que vão voltar, enfim, para todas as histórias que vem por aí no ano que começa já já. Voltamos no dia 15 de janeiro de 2018. 


Nosso abraço apertado em você!